Sexta, 27 de Maio de 2022
24°

Poucas nuvens

São Bernardo do Campo - SP

Cidades Dia das Mães

Consumidor do ABC gastará R$ 154 em média com presente das mães em 2022, aponta Metodista

03/05/2022 às 13h02 Atualizada em 03/05/2022 às 13h49
Por: Redação
Compartilhe:
Consumidor do ABC gastará R$ 154 em média com presente das mães em 2022, aponta Metodista

Segunda melhor data do comércio, o Dia das Mães deste ano sofre com a prolongada retração econômica. O preço médio por presente será de R$ 154, ou 3,6% maior que os R$ 149 do ano passado em termos nominais. Mas descontada a inflação de 11,3% acumulada no período de um ano, a variação real é uma redução de 6,9% no ticket médio por lembrança, mostra Pesquisa de Intenção de Compras (PIC) da Universidade Metodista de São Paulo. 

O gasto médio planejado para a data na região (presentes, almoço, passeios etc) será de R$ 204,30, valor 17% menor que o observado no ano passado em termos nominais. Se descontada a inflação acumulada, a queda real do gasto médio planejado pelas famílias será de 25%. 

"A lenta recuperação do mercado de trabalho, e em especial a trajetória dos salários reais médios, que ainda registram variação negativa nas últimas pesquisas de desocupação realizadas pelo IBGE, junto à aceleração da inflação contribuem para explicar este comportamento", afirma professor Sandro Maskio, coordenador de Pesquisa do Observatório Econômico da Metodista. A PIC das Mães completa 10 anos neste 2022. 

A movimentação econômica na região com a compra de presentes para dia 8 próximo tende a ser de R$ 119,7 milhões. Este valor é 1% maior que o estimado em 2021 em termos nominais. Descontando a inflação, o giro com compra de presentes deverá encolher cerca de 9%. 

Para aproximadamente 17% dos entrevistados, o valor nominal do presente vai diminuir neste ano. Quase a metade (46,3%) promete gastar igual ao ano passado em termos nominais. E 26,3% disseram que vão aumentar o valor. 

Menos internet

Com a menor taxa de contágio da pandemia, redução das internações e mortes e maior flexibilização à circulação de pessoas, a internet perdeu espaço como local de compra (31,3%), especialmente para os shoppings (30,6%) presenciais. No primeiro ano de pandemia, as compras virtuais chegaram a 65% das preferências em no ano passado a 63%. 

As mães serão as principais presenteadas (74,2%), seguidas das avós (10,4%). Em relação a 2021, as sogras foram as que mais perderam participação (1,6%) após representarem 11% das homenageadas em 2021. Vestuário (42,3%), perfumes e cosméticos (19,6%) continuam a dominar a preferências dos consumidores para presentear no Dia das Mães 

Nos 10 anos de PIC das Mães, observa-se uma perda de movimentação com a compra de presentes de cerca de 34%, explicada pela retração acumulada pela economia local no período e seus efeitos sobre a renda, diz prof. Maskio.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários