Terça, 25 de Janeiro de 2022
32°

Pancada de chuva

São Bernardo do Campo - SP

Colunistas Natal

Natal, tempo de sorrir – ou de refletir?

24/12/2021 às 05h29 Atualizada em 31/12/2021 às 13h37
Por: Redação
Compartilhe:
Natal, tempo de sorrir – ou de refletir?

Professora Renata Saggioro Silva

O que é o Natal pra você? De que ou de quem você lembra quando ouve a palavra natal? Quais sentimentos aparecem de primeira? Vale refletir sobre o que é o Natal nestes tempos.

ERRATA: Depois de publicado o texto “É Natal!”, o irmão da autora nos procurou, nos comentários. Então, já temos o autor do lindo texto ao final desta publicação: Margot Procidio.

 

Sabe um desses textos que a gente recebe via redes sociais, mas nunca vem com o autor? Então: recebi um lindo, sem autor (infelizmente), e traz algumas frases sobre o que é o Natal. Mas será que as pessoas estão preparadas para o verdadeiro sentido do Natal?

Chega dezembro e todos queremos fazer compras: receber e dar presentes: de amigo secreto, de inimigo secreto (brincadeira terrível), presente para a criançada, para as pessoas que se ama, lembrancinhas para os conhecidos... gastar, comprar, passear, andar no shopping, visitar e fotografar Papai Noel... são esses os acontecimentos reais do nosso dia-a-dia.

https://observatorio3setor.org.br/noticias/pequenos-invisiveis-70-mil-criancas-vivem-nas-ruas-do-brasil/

Será que as pessoas, os jovens, as crianças sabem porque comemoramos o Natal? (ou a maioria das pessoas). Para muitos, quando dizemos “Natal”, o que vem à mente é o bom velhinho, um homem branco, com as bochechas rosadas, de barba branca, óculos, generoso e mágico, com uma roupa de camurça quente pra caramba (inadequada às altas temperaturas do nosso Brasil), pois ele distribui presentes para todas as crianças numa única noite de Natal. Todas as crianças? Será mesmo? Segundo a ONG Visão Mundial, cerca de 70 mil crianças vivem em situação de rua hoje no Brasil, dormem com fome, sofrem violência de todos os tipos e negação de todos os seus direitos. Não têm o que comer diariamente, imagine se recebem presentes de natal do famoso papai Noel.

Você tem andado pelas ruas da sua cidade? Seja ela Diadema, São Bernardo, Santo André, São Paulo... quaisquer uma delas. Percebeu como aumentou a quantidade de pessoas em situação de rua?

Segundo Leila Oliveira, da InSaberes, na live “O retorno dos bebês às creches pelo Mundo”. https://www.youtube.com/watch?v=zCX4HJAGGHs    mais de 34 mil crianças perderam suas moradias durante a pandemia, só no Brasil. Isso REPRESENTA muita coisa: miséria, desnutrição, desemprego, desamor, abuso de drogas, violência sexual contra crianças e adolescentes, e tantas outras negações de direitos básicos garantidos por lei, mas principalmente corrupção e negligência política. Você já se imaginou tendo que dormir embaixo de uma ponte, ao relento, sem um teto, sem ter o que comer e sem saber quando vai comer, sem ter um banheiro pra fazer suas necessidades ou tomar banho, sem ter fogão ou geladeira pra guardar ou preparar sua alimentação? Abandono, negligência, desespero... é possível imaginar o que essas MILHARES de pessoas vivem e sentem? Não, não é possível imaginar isso. Você tem filhos, netos, sobrinhos crianças? Já imaginou viver com eles sem ter o que comer, sem ter onde dormir, sem ter um emprego ou qualquer outra renda, sem ter onde morar? O que você faria, pensaria?

https://www.gamalivre.com.br/2015/12/o-natal-na-favela.html 

O que temos feito pra melhorar essa situação? O que temos cobrado de nossos governantes para mudar isso? Quais ações cotidianas estamos realizando para ajudar essas pessoas? Aprovando os governos atuais e seus desmandos? Aplaudindo os governantes que aumentam os valores dos impostos, dos alimentos, do combustível? É... bem lembra o Natal de 2021 anos atrás: quando um homem cheio de amor, mais conhecido como Jesus, que ouvia, compreendia, ajudava, não julgava, trazia mensagens de fé, foi apedrejado, crucificado, chicoteado, humilhado, morto... é esse espírito de natal que estamos ressignificando, trazendo à tona na modernidade: ignorando, negligenciando os humildes, exaltando os poderosos (sejam eles o clero/igreja, as grandes empresas ou os imperadores/governantes). É esse Natal que estamos trazendo de volta: do ódio, do descaso, da ignorância, do caos.

Já escreveu Roberto Carlos: “De que vale o céu azul e o sol sempre a brilhar se você não vem e eu estou a lhe esperar?” Esperar as coisas se resolverem, a pandemia acabar, o governante mudar? Vale a reflexão: é tempo de purificar: a política, as ideias, as pessoas, tempo de refletir, de reagir, de resistir, de transformar, de transmutar, de argumentar, de se fundamentar. Não soubemos fazer o Natal na época de Jesus, pois crucificamos o Salvador. Não sabemos fazer agora, em 2021, pois negligenciamos nosso maior tesouro: as crianças, que estão sem alimentação, sem moradia, sem saúde, sem escolas de qualidade (enquanto todo nosso suado dinheiro vai para Imposto de renda, IPVA, IPTU, combustível, investimento em fake News e campanhas políticas, em compras no shopping ou na 25 de Março). 

Que possamos usar as frases de efeito, as mensagens de amor na nossa prática cotidiana: “amar ao próximo como a ti mesmo” é uma das máximas de que tanto falava o Mestre Jesus. Amar o filho, o irmão, a mãe, pode ser fácil, mas amar o diferente: o desempregado, o doente, o maltrapilho, o homossexual, o “fora do padrão”... ah esse sim é o maior desafio da humanidade. 

Paulo Freire (brasileiro, um dos maiores educadores do mundo) encerra seu livro mundialmente conhecido e estudado “Pedagogia do Oprimido” usando o verbo “amar”, na esperança de que “possamos ser capazes de permanecer com nossa confiança no povo, com fé nos homens e na criação de um mundo que seja menos difícil amar”.

------------------------------------------------------------------------------

É Natal !!

“Cada vez que duas pessoas se entendem e se perdoam, é Natal.

Cada vez que você demonstra paciência com quem convive, é Natal.

Cada vez que você ajuda uma pessoa, é Natal.

Cada vez que alguém decide ser honesto em tudo o que faz, é Natal.

Cada vez que nasce uma criança, é Natal.

Cada vez que duas pessoas se amam com um amor limpo, profundo e sincero, é Natal.

Cada vez que você olha alguém com os olhos do coração, sem julgamentos ou críticas, é Natal.

Cada vez que alguém socorre e devolve dignidade a um animalzinho, é Natal.

Cada vez que você divide o pão da sua mesa, é Natal.

Cada vez que se demonstra amor ao próximo, é Natal.

Cada vez que você faz uma reforma íntima e procura dar conteúdo novo à sua vida, é Natal”

 

Porque NATAL é

Amor todo dia.

Paz todo dia.

Generosidade todo dia.

Justiça todo dia.

Compreensão todo dia.

Respeito todo dia.

Autoamor todo dia.

Ação positiva todo dia.

Amor à vida todo dia.

 

E é a partir dessas atitudes que:

Nasce a ESPERANÇA

Nasce a ALEGRIA

Nasce a PAZ.

 

Nunca será um verdadeiro Natal enquanto comemorarmos apenas uma noite com amor e nos esquecermos e nos desrespeitarmos o resto do ano! Seguramente não é isto o que Jesus quer de nós! (Alá, Maomé, Jeová, Buda, Krishna e outros seres do bem). 

Então façamos uma reflexão e cuidemos para que nossa vida seja um constante Natal.

FELIZ NATAL !!!

MARGOT PROCIDIO

------------------------------------------------------------------------------

 

Terapeuta Cognitiva Comportamental e Holística, Margot Procidio atua no campo de desenvolvimento espiritual e humano há pelo menos 10 anos, ajudando centenas de pessoas no caminho do autoconhecimento e cura de doenças físicas, emocionais e espirituais. É palestrante motivacional e tem por por princípio a “desconstrução” para a real construção interna. Vale a pena segui-la em suas redes sociais: Instagram @margotprocidio

https://www.margotprocidio.com/margot-procidio/ 

Quer saber mais?

Disponível em https://observatorio3setor.org.br/noticias/pequenos-invisiveis-70-mil-criancas-vivem-nas-ruas-do-brasil/ acesso em 24 dez 2021

FORTUNA, Volnei. A relação teoria e prática na educação em freire. REBES - Rev. Brasileira de Ensino Superior. 2015. Disponível em file:///C:/Users/Pichau/Downloads/1056-4663-1-PB.pdf acesso em 24 dez 2021

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987

 

Imagem 1: https://www.margotprocidio.com/margot-procidio/ : 

Imagem 2: https://observatorio3setor.org.br/noticias/pequenos-invisiveis-70-mil-criancas-vivem-nas-ruas-do-brasil/

Imagem3: https://www.gamalivre.com.br/2015/12/o-natal-na-favela.html

Imagem 4:: arquivo pessoal Professora Renata Saggioro Silva

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Professora Renata Saggioro Silva
Professora Renata Saggioro Silva
Sobre Pedagoga, Professora de Educação Básica desde 1996 (Diadema e SBC), Coordenadora Pedagógica (Prefeitura de Diadema), Dançarina profissional e professora de Danças Brasileiras e Ciganas, Pós-Graduada pela USP em “Combate à Violência doméstica contra crianças e adolescentes”, pela PUC em “Teatro e Psicodrama”, pela FMU em “Dança na escola e Danças Brasileiras”, pela IEGABC em “Arte Educação e Psicopedagogia”. Ministrante de alguns cursos e palestras sobre arte-educação.
São Bernardo do Campo - SP Atualizado às 13h20 - Fonte: ClimaTempo
32°
Pancada de chuva

Mín. 19° Máx. 32°

Qua 32°C 19°C
Qui 33°C 20°C
Sex 28°C 20°C
Sáb 22°C 18°C
Dom 21°C 18°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Anúncio